Para alguém recém-formado em Direito, uma das grandes preocupações é saber como trabalhar como advogado autônomo. Afinal de contas, a quantidade de escritórios de advocacia com vagas para trabalhar é pequena e a concorrência é alta (o Brasil é um dos países com a maior proporção de advogados perante a população do mundo). Por causa disso, o empreendedorismo é a grande solução para muitos profissionais da área.
 
No entanto, não é fácil trabalhar como autônomo no Direito. Para se ter uma ideia, 50% de todas as empresas do Brasil fecham as portas em 4 anos. Não é à toa: o país tem um cenário econômico hostil. Some isso ao fato de que saber Direito não é a mesma coisa de saber Administração e temos muitos escritórios de advocacia que vão à falência por má gestão.
Quer saber como trabalhar como advogado autônomo do jeito certo e evitar esses problemas? Então siga a leitura do artigo abaixo até o fim!

Como trabalhar como advogado autônomo em 5 passos

1. Escolha uma área de atuação

Um dos benefícios que os escritórios de advocacia têm é o de serem multidisciplinares. Por exemplo, um mesmo escritório pode ter um time focado em Direito Tributário, outro em Direito Previdenciário e por aí vai.
No entanto, um profissional autônomo não tem esse benefício. Ele precisa escolher uma área de atuação e se especializar, pois a sua quantidade de horas disponíveis é muito menor. Portanto, se tentar ser generalista, terá muita dificuldade para competir no mercado.
 
Preferencialmente, esse profissional deve focar em uma área do Direito de baixa concorrência. Assim, terá maior facilidade para atuar. No entanto, é importante que haja boa demanda nesse segmento, especialmente na região de atuação.

2. Saiba como fazer Marketing

Um advogado autônomo precisa aprender a fazer marketing para sobreviver no mercado. Para isso, ele precisa conhecer as ferramentas à disposição e saber quais são os limites impostos pelo Código de Ética da OAB.
 
No primeiro ponto, uma das melhores ferramentas é o Marketing de Conteúdo. Ele é feito pela publicação de conteúdo especializado e de valor, de modo a conseguir atrair interessados e criar autoridade no mercado. Por exemplo, um advogado especializado em Direito Desportivo pode ter um blog com artigos sobre assuntos sobre Direito Desportivo, atraindo atletas, times e outros potenciais clientes.
 
Outra boa ferramenta são os links patrocinados no Google, que estão autorizados pela OAB dentro de alguns contextos. Esses anúncios aparecem como destaque quando um potencial cliente faz uma busca específica.
Por falar nisso, é essencial entender o que o Código de Ética da OAB permite ou não, para evitar cometer erros e fazer ações que são proibidas e passíveis de punição.

3. Invista em parcerias

Sozinho, um advogado autônomo terá muitas dificuldades. Por isso, ele precisará firmar todo tipo de parceria que puder para poder ganhar novos clientes. Isso inclui desde assumir tarefas mecânicas ou “chatas” de escritórios maiores até ter parcerias de recomendações com advogados iniciantes de outras áreas.
Assim, será mais fácil ter um fluxo financeiro importante no início da sua atuação, que permitirá crescer e conseguir mais oportunidades no futuro.

4. Aprenda administração

Por falar em “fluxo financeiro”, “parcerias” e “oportunidades no futuro”, é essencial que o advogado autônomo entenda de administração. Afinal de contas, ele precisará gerenciar o próprio escritório e deverá encontrar tempo para poder fazê-lo crescer.
Não é fácil fazer essa administração, mas é vital para poder evitar problemas financeiros. Afinal, é muito fácil “perder” dinheiro sem um controle profissional em cima das contas do escritório, especialmente quando se confunde as contas pessoais e profissionais do advogado.

5. Foque em tecnologia e melhorias constantes

Por fim, é importante que o advogado autônomo tente conseguir o máximo de vantagem que for possível em relação a outros autônomos ou a escritórios profissionais.
 
Uma maneira de conseguir isso é focar seus esforços em tecnologias específicas que geram melhorias constantes dentro do seu segmento. Por exemplo, usar um software jurídico em sua atuação profissional.
Hoje em dia, existem softwares equipados com Inteligência Artificial que facilitam muito o trabalho do profissional. Por exemplo, esses programas fazem a leitura automática e em tempo real do banco de dados do Judiciário, capturando qualquer novidade sobre os processos em que o advogado está envolvido. Assim, em vez de precisar entrar constantemente no sistema, basta deixar o software funcionando para receber atualizações. Isso poupa tempo e permite que o advogado autônomo foque no que realmente interessa.
 
Essas são as cinco principais dicas para quem quer saber como trabalhar como advogado autônomo no Brasil atualmente. Considerando que essa é a principal solução para quem quer atuar na área, é importante dominar esses conceitos para poder melhorar as chances de ter uma carreira de sucesso. No entanto, uma vez dominado o assunto, é muito mais provável que esse sucesso se perdurará do que acabará.
Gostou das dicas? Então comente abaixo dizendo qual é o maior desafio para você poder atuar de forma autônoma!