A Lei Maria da Penha, que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, completou 15 anos neste dia 7 de agosto.
Para marcar a data uma reunião no CRAM com as presenças da Major Denice Santiago da secretaria de segurança pública da Bahia, Capitã Juliana (chefe da rede de enfrentamento a violência as mulheres), da Juíza da Comarca de Cabrália Dra.Tarcísiade Oliveira Fonseca Elias, do Capitão Wendel, Soraia da Saúde presidenta da Câmara de vereadores de Cabralia, Lauren Lélis (secretaria de administração do município), Juari Braz Secretário de Assuntos Indígenas, Cacique Aruã, Cacique Pequi, Cacique Roberto.
A pauta da  reunião foi a criação da rede de enfrentamento da violência contra à mulher. O conceito de rede de enfrentamento à violência contra as mulheres diz respeito à atuação articulada entre as instituições/serviços  governamentais, não-governamentais e a comunidade, visando ao desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção e de políticas que garantam o empoderamento e construção da autonomia das mulheres, os seus direitos humanos, a responsabilização dos agressores e a assistência qualificada às mulheres em situação de violência. Portanto, a rede de enfrentamento tem por objetivos efetivar os quatro eixos previstos na Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres – combate, prevenção, assistência e garantia de direitos – e dar conta da complexidade do fenômeno da violência contra as mulheres.
Ao final do encontro  Claudiene Florencio, ressaltou  que em briga de marido e mulher a gente salva a mulher, e agradeceu a todos e parabenizou a Prefeitura de Santa Cruz Cabrália, em especial ao prefeito Agnelo Santos por está avançando em política pública afirmativa para as mulheres do município.