Em viagem a Brasília, na noite de domingo (02), o Secretário de Assuntos Indígenas de Santa Cruz Cabrália - Zeca Pataxó e a Superintendente de Assuntos Indígenas de Porto Seguro - Luzia Pataxó, foram recebidos na manhã de Segunda - feira (03) pela jornalista do governo Federal - Verbena Melo, o Procurador Federal da FUNAI - Paulo César Wanke e o Ouvidor da Fundação Nacional do Índio - FUNAI, Thiago Ricci. Em seguida, o secretário teve uma reunião com o Ministro Chefe da Secretaria de Governo - Carlos Marun.

Na segunda e terça -feira (03 e 04), várias demandas foram feitas aos representantes do Governo Federal, dentre elas, a preservação do monumento construído em Coroa Vermelha, na Gleba B (terras indígenas) e melhorias para a saúde indígena na Bahia, com prioridade à Costa do Descobrimento.
Os documentos, com as devidas solicitações, foram entregues ao ministro Carlos Marun.


Monumento Indígena - Ponto Turístico


Em reunião, com Heliomar Alencar de Oliveira - Procurador Federal Chefe do IPHAN, Fábio Guimarães Rolim - Coordenador Geral de Autorização e Fiscalização do Departamento de Patrimônio Material do IPHAN e Paulo César Wanke - Procurador Federal da FUNAI, ficou acordado que a questão do monumento, que representa o Descobrimento do Brasil em 1500, será levado à mesa de conciliação.


Ontem (04), foi enviada uma minuta à GU - Grau de Utilização da Terra, onde este  convocará os órgãos envolvidos no processo, que teve resultado favorável à derrubada do monumento, movido pelo IPHAN. Neste contexto, o processo fica paralisado: "Provavelmente esse resultado será definitivo, pois é de interesse público e da própria comunidade indígena", afirma o Cacique Zeca Pataxó.


Saúde

Em reunião com o Secretário Especial de Saúde Indígena - SESAI, Marco Antônio Toccolini, foi feito um documento onde o Ministério da Saúde libera recursos para contratação de equipes de limpeza e de mais necessidades: "Uma conquista de todos os envolvidos. Em especial, Luzia Pataxó e Sérgio Bute- Presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena. Foram dois anos de muita luta", conclui o Secretário de Cabrália e Cacique Zeca Pataxó.