Os trabalhadores da secretaria municipal de obras foram homenageados nesta quarta-feira, 16, pelo prefeito Agnelo pelo dia do Gari e Margarida. Organizado pela Secretaria de Assistência Social, o chefe do executivo municipal tomou o café nas primeiras horas do dia com os servidores.
O evento, além de conta com a presença dos garis e margaridas que foram homenageados, ainda foi prestigiado por secretários municipais, vereadores e convidados.
Durante as palavras de homenagem aos garis e margaridas, o prefeito destacou a importância dos trabalhadores para a gestão, destacando o cuidado que cada um tem com a limpeza e manutenção das ruas, praças, espaços públicos entre outros locais de utilidade pública.
“Só queremos agradecer os garis e margaridas pelo empenho e determinação de todos os dias cuidarem de nossa cidade. Se a profissão do médico é importante, assim como a do advogado, jornalista, eletricista entre outras, a do gari e margarida são essenciais para o desenvolvimento de nossa sociedade”, disse Flaema – Secretaria de Assistência Social.
Fotos: Jerusa Brandão
 

Como surgiu o apelido Margarida?

No início da década de 70, havia carência de mão-de-obra masculina em São Paulo para serviços de varrição, já que os melhores profissionais eram requisitados pelas empresas responsáveis pela construção do metrô.

Naquela época, o então gerente da filial Piracicaba, José Mauro Porto, foi designado pela diretoria de Operações da VEGA para incluir as mulheres no serviço de limpeza pública. A experiência pioneira foi feita com absoluto sucesso e, logo em seguida, repetida em outras regiões, na Capital. Antes mesmo de o teste ser feito em São Paulo, havia uma preocupação em encontrar um nome popular que servisse de alternativa aos já tradicionais, como varredora e servente.

Pensou-se na cor branca, que é sinônimo de limpeza, e na flor, que representa a mulher. Imediatamente, margarida foi considerada o mais adequado, inclusive porque nesse nome está contida a palavra gari. Dias depois, a mídia e a sociedade em geral aceitaram – e elogiaram – o ingresso da mulher na nova atividade profissional junto com seu apelido de trabalho.