O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está se preparando para iniciar o Censo 2020. A pesquisa, realizada de dez em dez anos, visa à coleta de informações sobre números e hábitos da população brasileira e extensão territorial ocupada. Em Porto Seguro, a coordenação de área da pesquisa já iniciou os encontros com a comunidade, no mês de setembro. Essas reuniões visam levar aos munícipes o planejamento do Censo, a única pesquisa alcança todos os brasileiros, segundo o coordenador Leidson Moreau Cruz Júnior.

A equipe do censo 2020 está em formação e os editais estão sendo abertos, incluindo o processo seletivo para coordenador de subárea para Porto Seguro, que também atuará em Belmonte e Santa Cruz Cabrália. Está prevista para fevereiro de 2020 a publicação do edital para contratação de 125 recenseadores e 17 supervisores. A coleta de dados será de agosto a outubro de 2020. A previsão é de que 44.677 domicílios sejam visitados pelo Censo no município. Os recenseadores serão distribuídos em dois postos de coleta, sendo um em Porto Seguro (sede) e outro em Arraial d’Ajuda.

O objetivo é que, do menor ao maior município, em áreas rurais e urbanas, sejam coletados dados que funcionam como base para as tomadas de decisões dos governos, empresas, pesquisadores, estudantes e outros segmentos. O IBGE espera pror o engajamento da comunidade e, durante as conversações, levantar informações sobre ruas, aglomerados urbanos, bairros e existências de populações desconhecidas, como quilombolas, por exemplo. Estas informações auxiliam a coleta de dados e atualizam os levantamentos já existentes.

Forma de coleta

Os questionários estão em fase de testes e a coleta será por meio de DMC (Dispositivo Móvel de Coleta). “No Censo Agro 2017, essa tecnologia ofereceu grandes vantagens, como monitorar o percurso do recenseador no campo”, disse Leidson. Ele afirma que o DMC torna o trabalho mais rápido e preciso, já que registra locais das pesquisas e permite o georreferenciamento, que é o mapeamento de um imóvel rural, definindo sua área e posição geográfica.

De acordo com o coordenador, as informações de cada domicílio serão mantidas em sigilo pelo IBGE. Legalmente, elas não têm validade legal contra ninguém. Um exemplo de respeito ao sigilo das informações é o fato de que o vizinho não poderá acompanhar a entrevista de outro vizinho.

As informações serão divulgadas por município, ou seja, elas vão mostrar um retrato da população de cada cidade. Pensando em tornar o Censo cada vez mais popular, o IBGE criou, em 2018, o link https://educa.ibge.gov.br/, onde é possível encontrar mapas, brincadeiras, material para pesquisa, atividades e recursos para aulas, informações sobre população e sobre as várias realidades do Brasil, em linguagem simples e direta. “É uma forma de levar, de forma prática, a importância da pesquisa populacional às escolas, facilitando a divulgação e realização do Censo, enfatiza o coordenador.