O distrito de  “Santo André da Bahia” se tornou o “oásis” para quem procura sossego, belezas naturais e boa comida no nordeste do Brasil.

O vilarejo, que pertence à região de Santa Cruz Cabrália, possui, aproximadamente, mil habitantes e tem atraído brasileiros, em especial, mineiros, paulistas e estrangeiros, principalmente depois que a seleção alemã de futebol escolheu a vila para se concentrar antes da Copa do Mundo de 2014.

Não é à toa que um dos destaques da região é o “Festival de Lagosta da Costa do Descobrimento”. O evento, que está na quarta edição, acontece de 11 a 20 de outubro e reúne diversos pratos, tendo o crustáceo como principal ingrediente. São 21 restaurantes e barracas participantes do evento oferecendo o melhor da culinária à beira-mar.

Segundo Léa Penteado, idealizadora do festival, a culinária baiana, que agrega os sabores afro, português e indígena, é uma das mais diversificadas do mundo.

“A proposta do evento é mostrar o potencial gastronômico da região, além de valorizar a identidade cultural e regional da Bahia, e gerar negócios para diversos setores, como restaurantes, hotéis, pousadas, comércio local, artesanatos e grupos folclóricos”, ressalta.

Foto: Divulgação - Esta criação de Luigi Rotunno é uma associação da Lagosta do Oceano Atlântico com uma especialidade da ilha da Sardenha: a Bottarga di Muggine

Alguns dos restaurantes de Santo André participantes do festival são o Bistrô Luz de Minas, Fazenda Amendoeira, Restô Araticum, Mangostão, Victor Hugo, D´Ajuda, Sant´Anas, El Floridita e Caju, que fica no hotel onde a seleção alemã hospedou.

Além disso, tem pequenos pontos de encontro para bate-papo com bolinho de lagosta, acarajé, açaí e sorvetes, como a Pontinho e Sorveteria. O preço dos pratos varia de R$ 20 a R$ 80 por pessoa. São cerca de oito opções de sabores da região, entre eles, Paella Valenciana; Cauda da lagosta na manteiga aromatizada; Lagosta assada no óleo de coco; Lagosta Flambada na Cachaça com Risoto de Alho Poró; Mille foglie de lagosta. Tem até pizza com lagosta e tapioca recheada de moqueca de lagosta.

Novidade

O festival, que acontece desde 2016, se tornou referência no calendário turístico de Santo André da Bahia. A edição deste ano, que tem apoio da Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, da Câmara de Turismo da Costa do Descobrimento e da Katz Construções, ganhou um aplicativo.

“O objetivo é deixar os turistas por dentro de tudo que acontece festival, como os restaurantes participantes, a descrição e fotos dos pratos, endereço e whatsapp, além de informações sobre a região e o histórico do Festival”, explica Léa.

Foto: Divulgação - Cauda da lagosta na manteiga aromatizada, arroz ao leite de coco caseiro, crocante de coco queimado, tomates secos da casa, quiabos na grelha.

O evento, dentro de um turismo de experiência, oferece passeios como trajetos de escuna, tanto pelo Oceano Atlântico quanto pelo Rio João de Tiba, já que Santo André é cercada por ambos. Quem quiser ainda pode ir até a Ilha dos Doces, degustar os sabores da região e tomar banho de lama no mangue.

Para aqueles que possuem um espírito mais aventureiro, a prática de mergulho é uma das opções da localidade, com diversos pontos que se destacam, como os corais de Araripe, Coroa Alta e Alagadas, e pode observar uma infinidade de espécies de peixes e corais, além de tartarugas.

Para conhecer a região, quem desembarca em Porto Seguro, deve seguir a BR 367 até Santa Cruz do Cabrália. De lá, o visitante pega uma balsa e segue para Santo André, o trajeto dura aproximadamente dez minutos.