Foto: Ascom

Estudantes ingressos na UFSB no quadrimestre 2017-2 realizaram uma oficina de protagonismo juvenil com estudantes do Ensino Médio do Colégio Estadual Terezinha Scaramussa, em Santa Cruz Cabrália, no último dia 21 de setembro de 2017. A atividade integrou a agenda do movimento Transformaê: virada educacional Bahia, uma iniciativa da Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

Adriele Costa, Caynan Ramos, Dhene Souza, Halana Silva, Katrinny Brito e Jakiiam Ormundo são estudantes egressos do Colégio Terezinha Scaramussa e atualmente compõem a turma da Área Básica de Ingresso (ABI) no CUNI-Cabrália. Sob a coordenação do professor Álamo Pimentel, os estudantes da UFSB organizaram e realizaram a oficina com o propósito de compreender as formas de atuação dos estudantes do Ensino Médio nas relações de ensino-aprendizagem no cotidiano escolar. O convite para a criação desse trabalho foi feito pela direção da escola.

As atividades realizadas pelos estudantes da UFSB enfatizaram as formas de ver e viver a escola segundo os jovens participantes da oficina. Foram organizadas cinco estratégias de produção de conhecimento sobre a participação dos jovens no cotidiano escolar: a) a negociação de sentidos nos ‘territórios’ do aprender (experiências de socialização na frente e no fundo da sala de aula), b) problematizações das formas tradicionais e inovadoras de ensinar-aprender, c) produção de textos a partir do tema ‘a aula que eu gostaria de ter’, d) conhecendo os ‘espaços de prazer’ dos estudantes na escola e nos espaços urbanos do entorno da escola, e) avaliação das aprendizagens significativas durante a oficina.

Nas semanas que antecederam o acontecimento dessa atividade, os estudantes que ingressaram este ano no CUNI-Cabrália, mobilizados pelo professor do Componente Curricular (CC)Universidade e Sociedade, participaram da composição da equipe e do planejamento da oficina, que se constituiu com uma ação integrada da universidade na escola. As experiências vividas como estudantes do Ensino Médio no Terezinha Scaramussa forneceram as bases empíricas para o planejamento e a condução da oficina. Os oficineiros compartilharam memórias de suas experiências na escola a partir de mediações conceituais que compreendem o protagonismo juvenil como processo de afirmação da presença do jovem no cotidiano escolar.

Participaram da oficina nove estudantes do Ensino Médio do Terezinha Sacaramussa, além da equipe de estudantes da UFSB, do professor coordenador dos trabalhos e da vice decana do Instituto de Humanidades Ciências e Artes (IHAC) da UFSB no Campus Sosígenes Costa, professora Ângela Garcia. Destacam-se como principais resultados do trabalho, os sentidos atribuídos ao silêncio e ao barulho como formas de resistências juvenis aos modelos de autoridades centrados no domínio exclusivo do professor sobre o grupo e; as diferenças entre uma ‘aula chata’ e uma ‘aula perfeita’ a partir das formas de negação ou afirmação da presença dos jovens nos processos de ensino-aprendizagem.

A oficina marca o retorno dos estudantes da UFSB na escola em que cursaram o seu Ensino Médio, agora como mediadores de ações integradoras da universidade com a escola. O conjunto de estratégias planejadas e realizadas na oficina foi transpassado por textos e conceitos trabalhados no Componente Curricular Universidade e Sociedade. Segundo a avaliação dos oficineiros, além de reviverem suas memórias escolares, elas e eles conseguiram ampliar suas compreensões sobre os conflitos intergeracionais no cotidiano escolar e apontar alguns desafios necessários para a transformação das relações de saber e poder nas experiências vividas entre professores e estudantes na escola.