De 18 a 19 de abril aconteceram as comemorações ao Dia do índio na maior aldeia urbana indígena do país. A abertura se deu na tarde de quarta-feira (18) e na manhã de 19 a festa começou com os jogos indígenas, uma tradição secular realizada pelos guerreiros Pataxó, em Coroa Vermelha, local da 1° missa celebrada no Brasil. As modalidades foram: arco e flecha, zarabatana, revezamento de maracá, arremesso de tacape, luta corporal, corrida com tora, cabo de guerra e muito mais. Tradições mantidas pelos primeiros povos do Brasil.
 
O evento foi patrocinado pela Veracel Celulose e ainda contou com total apoio da Prefeitura Municipal de Santa Cruz Cabrália, por meio da Secretaria de Assuntos Indígenas, Caciques e lideranças. A jornalista Jerusa Brandão esteve presente durantes os dois dias: "Aprecio as tradições indígenas. Desde que mudei para Cabrália, há 13 anos, venho a Coroa Vermelha acompanhar as apresentações culturais. É uma outra maneira de viver; uma outra cultura. São os primeiros povos do Brasil. Nossos ancestrais", afirma. O encerramento se deu por volta das 17h30 com a palavra do cacique e secretário de Assuntos Índigenas, Zeca Pataxó: "É um momento histórico fazer parte dessa liderança. Pajé Itambé chegou nesse lugar, pela primeira vez, em 1972, com meu irmão no colo. Montou uma barraquinha de madeira e plástico. Resistiu àqueles empresários que queriam tirá-lo daqui. Com isso, vieram mais parentes. Como disse Karajá; se hoje temos escolas, postos de saúde, Centro Cultural, área demarcada, não foi por causa desses jovens que estão aqui. Essa luta vem lá de traz, de muito tempo", disse o cacique que agradeceu a parceria da prefeitura de Cabrália, patrocínio da Veracel, Caciques e lideranças indígenas na realização do evento.