Quem perdeu o prazo pode fazer na sede da Condesc em Eunápolis
 
 
 
Após Audiência Pública, que aconteceu na Casa Cabral Belmonte no último dia 31, direcionada aos pequenos produtores rurais e agricultores familiares, iniciou o cadastro para regularização fundiária de terras devolutas até 100 hectares. 
 
A comunidade rural teve essa oportunidade no dia 02 de agosto - Sindicato Rural e ontem (07/08) na Escola Aracy Alves Pinto - Povoado de Santo Antônio. Quem não compareceu nesses dias, agora só poderá fazê-lo na sede do Condesc em Eunápolis.
 
 

 
 
Na manhã de terça - feira (07), a equipe do Condesc – Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Costa do Descobrimento, com o apoio da prefeitura, iniciou às 09h00 o cadastro para a regularização fundiária em Santo Antônio. A Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura esteve representada pela Superintendente de Pesca - Cleonice Aragão e o agrônomo Carlos Xavier. Estes, juntamente com a equipe do Condesc, organizaram a triagem e, em seguida, o cadastro.
 
 
 
José Borges Costa, 64 anos, mora na Fazenda Mombaça, às margens do Rio João de Tiba: "Essas terras eram dos meus pais onde moro desde criança e crio gado e galinha".
 
 
A triagem foi feita por João Valério - Coordenador Geral do Condesc - Eunápolis. Ele avalia a documentação e passa para o cadastro: “Há casos onde é necessário se fazer uma declaração, pois às vezes o morador não tem documentação nenhuma da terra, e para ser feita a doação é necessária a comprovação de residência com mais de 05 anos. Então apresenta - se uma testemunha que pode ser um vizinho de terra confrontante ou não”, explica o coordenador.
 
 
Antes de fazer o cadastro o atendente pesquisa no banco de dados da Coordenação de Desenvolvimento Agrário – CDA para se certificar que a pessoa, que está pleiteando o título, não tenha outra propriedade. Caso tenha, a doação não pode ser feita pelo Governo do Estado.
 
 
Maria Elena Lacerda, 36 anos, passou pela triagem e realizou o cadastro: “Foi uma surpresa para mim. Moro na Fazenda Esperança com minha irmã e nossos filhos. No total são 77 hectares onde plantamos mandioca e temos pastagens. Essa terra é herança de família e estou aqui para requerer o título”, diz a moça.
 
 
 
 
O encerramento se deu às 16h00 e quem não fez a entrega de documentação até essa terça-feira (07), agora só na sede da Condesc à Rua Florianópolis, nº 295 – Eunápolis. Tel: (73) 3281 5751.
 
 
 
Documentos necessários para o cadastro:
 
- Solteiro: CPF, RG e Certidão de Nascimento;
 
 - Casado (Cartório): Documentos do Casal: CPF, RG e Certidão de Casamento;
 
- Divorciado (Cartório): CPF e RG do Requerente, Certidão de Casamento com averbação ou sentença do Divórcio;
 
- Viúvo: CPF e RG do Requerente, Certidão de Casamento e Certidão de Óbito. Caso possua, levar documentos do falecido.
 
- Mais de um interessado: CPF e RG do requerente e da pessoa interessada na propriedade.
 
 
 
Após o cadastro, é feito o georreferenciamento e depois a titulação.
 
- Georreferenciamento: Medição precisa e atualizada das propriedades por meio da utilização de aparelhos GPS via satélite.
 
- Titulação: Após o processo de cadastro e georreferenciamento, será encaminhado para a Coordenação de Desenvolvimento Agrário – CDA. Esse órgão, que é ligado ao Condesc, fará a avaliação dos dados coletados. Sendo aprovado, é gerada a planta e memorial descritivo do imóvel, juntamente com o Título de Doação.
 
 
Texto e fotos: Jerusa Brandão/JBcomunicação