Infelizmente nem tudo que nos rodeia nos faz bem. No serviço público, por exemplo,  há muito disa de poder, o que faz com que alguns servidores efetivos, em especial, de cargos comissionados abusem de atos antiéticos em prol de seu próprio bem estar.

E, o que é pior, quem sai perdendo, na maioria das vezes, são as pessoas de bem que não conseguem prever as maldades dos mal-intencionados. Talvez venha daí a expressão “o mundo é dos espertos”.

Custo acreditar nisso, pois pra mim esperteza não tem nada a ver com passar a perna em ninguém, pelo contrário. Esperteza é, na verdade, a capacidade de encontrar soluções para problemas difíceis com recursos alternativos e de uma forma criativa.

Ser esperto é pensar rápido (mais rápido que seus concorrentes), agir de forma inteligente, e dominar suas próprias emoções para que elas não atrapalhem suas decisões.

Voltando aos atos antiéticos…

Fico deveras decepcionado como cidadão e imprensa local quando vejo situações questionáveis acontecerem entre colegas de trabalho dentre de alguma secretaria ou departamento. Concordo que todos brigamos vorazmente por nosso espaço, mas jogar sujo é algo que mais cedo ou mais tarde nos trará consequências indesejadas.

Aliás, é bom que isso fique muito claro pra quem ainda não entendeu: Tudo que fazemos volta pra gente um dia. Por isso, se você faz o mal a alguém, ou simplesmente age de forma irresponsável (sem que essa fosse sua intenção), cedo ou tarde o mesmo (ou algo pior) acontecerá com você.

No serviço público, queira ou não, isso costuma acontecer numa velocidade muito interessante. O mal pode até vencer por alguns instantes, mas o bem sempre prevalecerá, vencendo as maldades que partes de pessoas que agente menos espera.

Por outro lado, precisamos parar de pensar um pouco nas consequências negativas que podem nos ocorrer, para pensar mais nas consequências de nossos atos sobre as outras pessoas.

Tudo que nós fazemos dentro do serviço público causará um efeito sobre alguma pessoa, seja negativo ou positivo. Por que não agir de forma mais responsável para que esses efeitos sejam sempre positivos? Ora, dentro de uma Prefeitura os objetivos são comuns e não há por que agir com disas.

Se duas pessoas aspiram ao mesmo cargo, por exemplo, é certo que haverá ali uma rixa, não podemos negar. Porém, se a Prefeitura for idônea, não tenho dúvidas de que será promovido aquele que jogar limpo, conquistando isso de forma ética, e não aquele que tentar passar por cima do colega para conquistar o que se quer.

Enfim, preciso chamar atenção para aquelas pessoas que são alvos constantes de puxadas de tapete nas secretarias de governo. Infelizmente, preciso ser realista, a maioria dessas pessoas alvo permitem que isso aconteça através de sua própria postura.

É que no ambiente público precisamos sempre manter uma postura firme, profissional mesmo. Não há porque ficar levantando questões da vida pessoal, por exemplo, já que ali os assuntos discutidos devem ser sempre relacionados aos interesses do governo.

Cuidado com a inocência excessiva. Como dizem: “A maldade está nos olhos de quem a vê”. Você pode ser uma pessoa pura, mas, pureza extrema também pode ser confundida com inocência. Cuidado com o que fala e com o que mostra, sua língua pode ser tão grande quanto à bondade de seu coração, mas procure não exagerar. Fica a dica!