Uma pesquisa realizada pelo Datafolha apontou que, caso haja uma vacância na presidência da República, não há um favorito óbvio para ocupar o cargo. O estudo foi realizado com 311 dos 594 que são aptos a votar caso uma eleição indireta venha a acontecer. Como resultado, 61% deles não citam espontaneamente um candidato para substituir Temer. São 76% sem candidato escolhido, uma vez que outros 15% rejeitaram falar sobre a hipótese. A pesquisa também ouviu os parlamentares sobre a saída do presidente. Para 47%, Temer deveria deixar o cargo. Desse total, 36% querem a renúncia, 34% a cassação da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e 6% o impeachment. Já 40% querem que Temer continue no poder. Sobre os candidatos que foram citados, 9% citaram de forma espontânea o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), 2% o ex-ministro Nelson Jobim (PMDB), os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Do total foram 275 deados e 36 senadores ouvidos. Quando uma lista com possíveis candidatos foi apresentada, Maia ficou na frente com 13%, Jobim com 7% e o Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e senador Alvaro Dias (PV-PR) empataram com 5%.