À esquerda, Eunice Brito - Coord. da Defesa Civil, Flaelma Almeida - Sec. de Assistência Social, 
Márcia Quaresma - Sec. de Saúde, Marise Rezende - Educação, Geraldo Gordilho - Sec. de Infraestrutura e
 Fernando Ricaldi - Sec. de Administração e Planejamento.

 
Com as situações de alagamento que o município sofreu com as últimas chuvas, a prefeitura, em parceria com a Defesa Civil, buscaram soluções para sanarem os problemas causados o mais rápido possível. Muito se fez, dentro do possível, para amenizar os danos causados pelas chuvas e as ações não pararam. Com um número de contato, a Defesa Civil em Cabrália pode ser acionada com mais rapidez.
 
Defesa Civil: (73) 99809 5881 - Zap
 

A coordenadora da Defesa Civil em Cabrália Eunice Brito reforça que é importante a definição das áreas e situações de alagamento e/ou possíveis áreas de risco para que sejam definidas as atribuições de cada secretaria, Defesa Civil, Corpo de Bombeiro e também as atribuições de todos os cidadãos, caso ocorra uma situação emergencial: “A Defesa Civil, em situação de emergência, coordena todo o gerenciamento de desastre. Portanto está inserida em todos os contextos atribuídos ao Corpo de Bombeiro e secretarias envolvidas”, ressalta.
 
Todos os anos, não só Cabrália, mas uma grande faixa da região litorânea, sobre com situações de alagamento no final de maio, junho e julho.
Os critérios para a decretação das distintas situações são descritas na Instrução Normativa nº 1/2012 do Ministério da Integração Nacional.
 
 
 
São eles:
 
- Situação de Emergência: situação de alteração intensa e grave das condições de normalidade em determinado município, estado ou região, decretada em razão de desastre, comprometendo, parcialmente, sua capacidade de resposta.
 
- Desastre: resultado de eventos adversos, naturais ou provocado pelo homem, sobre um cenário vulnerável, causando grave perturbação ao funcionamento de uma comunidade ou sociedade envolvendo extensivas perdas e danos humanos, materiais, econômicos ou ambientais, e que exceda a sua capacidade de lidar com o problema usando meios próprios.
 
- Estado de Calamidade Pública: situação de alteração intensa e grave das condições de normalidade em determinado município, estado ou região, decretada em razão de desastre, comprometendo, substancialmente, sua capacidade de resposta.
 
 
 
Atribuições:
 
Corpo de Bombeiro e Secretaria de Saúde:
 
- Busca, resgate e salvamento e remoção de vítimas;
- Primeiros socorros;
- Atendimento pré-hospitalar;
- Atendimento médico cirúrgico emergencial;
- Desocupação da população da área atingida;
- Orientação e informação à população (ASCOM).
 
Assistência Social:
 
- Instalação de abrigo para pessoas sem condições próprias de habitação;
- Assistências psicossocial e psicológica;
- Distribuição de água potável, alimentação, colchões, kits de higiene pessoal e de limpeza;
- Distribuição de telhas ou lonas para cobertura de residências (situação de emergência);
- Gerenciamento de cadáveres e sepultamento;
- Aluguel social temporário.
- Gerenciamento de animais domésticos;
- Promoção de segurança pública;
 
Infraestrutura:
 
- Reestabelecimento do fornecimento de água potável e energia elétrica e ainda sistemas de comunicação;
- Remoção de escombros e desobstrução de vias de acesso;
- Construção de acessos públicos alternativos ou provisórios devido  a trechos interrompidos;
- Tratamento emergencial e destinação de resíduos sólidos;
- Sepultamento de pessoas;
- Enterro de animais em locais adequados, segundo normas de zoonose;
- Limpeza e descontaminação de edificações e instalações, públicas e privadas;
- Vistoria técnica às estruturas atingidas, emissão de laudos técnicos;
- Desmontagem de edificações comprometidas;
- Mutirão de recuperação das unidades habitacionais.
 
Texto e fotos: Jerusa Brandão/JBcomunicação