Foto: De verde Matheus Giovannini e de branco Antonio Vollmer / Crédito: ASCOM Cabrália

Sábado com muito sol e temperatura beirando os 30º C em Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, dia de abertura do torneio Aberto (Open) do Pan-Americano de Beach Tennis realizado nas areias da praia de Coroa Vermelha e do hotel Capitania e conta pontos para o ranking mundial. O torneio, que conta com 190 atletas de sete países, é organizado pela Brazil Super Sports com supervisão da Confederação Brasileira de Beach Tennis e chancela da IFBT, International Federation of Beach Tennis.

Destaque para o baiano nascido em Eunápolis e que mora em Cabrália, Matheus Giovannini, de apenas 20 anos, que levantou o troféu na categoria Simples no Profissional. Ele passou nas quartas de final pelo chileno Patrício Iturra, quarto do mundo na categoria e que há poucas semanas liderava o ranking, marcando 7/3. Na semifinal passou por outro chileno, Bráulio Maldonado por 7/4. Na decisão final totalmente baiana contra Pedro Bragança onde venceu por 7/2: "Me sinto muito feliz com a conquista e satisfeito pelo meu jogo, me dá mais motivação para seguir treinando firme", disse o beachtenista que acabou eliminado na Dupla Masculina com o carioca Antonio Vollmer, que morou por 11 anos em Cabrália, diante dos capixabas Evandro Rosindo e Almaro Campanharo por 6/1 6/4: "Não joguei nada, fiquei muito triste após essa derrota principalmente por ter vencido essa dupla duas vezes na sexta-feira", apontou o jogador que foi vice-campeão do torneio por equipes com o time Brasil 1, mas ganhou suas duas partidas na primeira fase e na final contra os adversários. Ele sai do Pan-Americano com saldo super positivo: "Foi um Pan ótimo para mim, cheio de aprendizados, muitos jogos de qualidade e amizades de gente de todos os cantos. Jogar com o Kuteer foi ótimo, ele é calmo e passou muita coisa legal para mim".

A Bahia ficou com o título de Eduardo Smeha, natural de Porto Seguro (BA) na categoria 50+. Ele e o paulista Rogério Tomin bateram na final Paulo Pacheco e Sergio Frisso por 7/1. O estado busca o troféu neste domingo do 40+ com Luis Pedreira ao lado do mineiro Luiz Basile. Eles enfrentam na final os chilenos Rolly Cabezas e Felipe Guzman.

O domingo abre a programação a partir das 8h e o dia terá semifinais da Dupla Feminina Profissional com Nathalia Costa e Maíra Izzo encarando as chilenas Paola Valenzuela e Gabriela Catalina, ambas 59ª do ranking mundial. Na outra semi duelo Argentina x Chile com as argentinas Allin Wirth e Jessica Orselli enfrentando as chilenas Maria Medina e Paola Basure. No masculino teremos rodada tripla para definição da dupla campeã com jogos das quartas de final, semi e final. O local Pedro Bragança joga ao lado de Marco Viscardi enfrentando os brasileiros Felix Bulhões e Victor Machado. Se vencer terá uma dupla chilena ou argentina pela semifinal. Eliminado nas simples, Patrício Iturra e o parceiro Braulio Maldonado pegam os mineiros Luiz Basile e o jovem de 18 anos João Pedro Souza, campeão das duas últimas etapas do Circuito Mineiro. Os capixabas Evando Rosindo e Alvaro Campanharo enfrentam a dupla formada pelos chilenos Felipe roman e Rolly Cabezas.

Uma das surpresas do dia foi a derrota da número 1 do mundo nos 40+ feminino, a americana Michelle Bos jogando ao lado da brasileira Eva Regina. Elas perderam na semifinal para Adriana Castanho e Roberta Barros por 7/5. O título ficou com Maíra Izzo e Vivian Oliveira marcando 7/2 na decisão.

Os títulos das demais categorias amadoras A, B e C serão definidos no domingo. O torneio distribui ao todo R$ 6 mil sendo R$ 4 mil aos profissionais e R$ 2 mil aos amadores em produtos BLVS. O evento conta pontos ao ranking mundial e nacional em todas as categorias.

O Pan-Americano tem 190 atletas dos Estados Unidos, México, Argentina, Chile, Venezuela e Bolívia.

O Pan-Americano de Beach Tennis e o Pan-Americano Open têm o apoio da Prefeitura Municipal de Sta. Cruz Cabrália, do Hotel Capitania, Hotel Sueds e Hotel Top Mais, da Smash, patrocínio da BLVS e organização e realização da Brasil Super Sports com supervisão e arbitragem da Confederação Brasileira de Beach Tennis e da IFBT.