A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (27) que vai subir os preços da gasolina em 1,8% nas refinarias a partir de terça-feira. Por outro lado, os preços do diesel serão reduzidos em 0,2%. O aumento ocorre após a  ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) divulgar que, na semana passada, o preço médio da gasolina atingiu um novo recorde nos postos ao subir 2,6% na semana e superar a marca de R$ 4 por litro
O preço da gasolina atingiu uma média de R$ 4,023 por litro, ante R$ 3,966 na semana anterior, segundo pesquisa da agência reguladora. Foi o terceiro recorde semanal seguido dos preços da gasolina no país. Alta de 23,2% em os do diesel, 24%, de acordo com cálculos do banco Goldman Sachs. As variações dos preços da petroleira estatal não necessariamente impactam imediatamente os preços nos postos de combustíveis, uma vez que o repasse depende da da cadeia de distribuição e vendas. A gasolina tem renovado máximas nominais (sem considerar a inflação) nas bombas em uma série histórica da ANP iniciada em 2013, impulsionada também pela decisão do governo federal de elevar tributos dos combustíveis (PIS/Cofins) no fim de julho.